Branquinha, a cadela sarnenta mas alegre e contente!

Após uma deliciosa viagem de final de ano com destino ao Fazzenda Park Hotel em Gaspar, bem próximo aqui de Navegantes, uma surpresa para minha mulher e eu. Na saída da garagem do nosso prédio, debaixo de um pé de Maria-sem-vergonha, estava “branquinha”, assim chamada por nós.

“Branquinha” é uma cadela de rua, com mais ou menos um ano de idade, aflita por um pouco de comida e descanso. Tomada por uma irritante sarna, não conseguia parar de se coçar. Vendo o estado em que se encontrava aquele animal, nos obrigamos a prestar o mínimo de assistência. Fui até a agropecuária mais próxima e comprei um pouco de ração. Coloquei num pote e ofereci a ela. Comeu que se acabou!

Por volta das 19:00 h, assim que terminei de assistir a Branquinha devorar o pote de ração, um casal que mora em outro apartamento aqui no prédio, saía pelo hall de entrada quando eu estava subindo. Eles compraram um remédio de spray para combater a sarna da Branquinha e perguntaram se eu poderia ajudar. De imediato me dispus a ajudá-los, uma vez que Branquinha precisava urgente de um remédio contra a coceira que não a deixava em paz.

Eu e o vizinho colocamos luvas, uma vez que sarna pode ser transmitida pelos cães aos seres humanos, e seguramos a Branquinha enquanto a vizinha borrifava o remédio no corpo magro e judiado da pobre cadela. Após a aplicação do remédio, agradeci aos vizinhos pela assistência. Deixamos Branquinha no mesmo lugar, próximo a entrada da garagem, e subimos. Fiquei um pouco mais tranquilo ao saber que Branquinha comeu, tomou água e recebeu remédio para sua sarna.

Após subir e conversar um pouco com minha mulher, decidimos ligar para a veterinária que cuida de nosso cão – Arthur Pendragon – a fim de saber o que ela poderia fazer para ajudá-la. Com tamanho coração, e até hoje nunca vi um médico veterinário com um maior do que o de Ana Paula, ela nos disse que passaria na manhã seguinte para aplicar uma injeção antissarna, bastava que déssemos água e comida que ela não iria longe do prédio. Dito e feito!

Na manhã seguinte, às 7:30 h, Ana Paula, a veterinária, estacionava seu carro enquanto observávamos Branquinha comendo sua primeira refeição do dia. Em poucos minutos ela saiu do carro, nos disse bom dia e aplicou a injeção na Branquinha. Pensei que ela iria gritar por causa da agulha, pelo menos é o mínimo que o Arthur faz quando recebe injeções: um escândalo. Mas não, Ana aplicou a injeção com muita tranquilidade e Branquinha nada fez, só se curvou com medo, mas não deu nenhum grito.

Agradecemos a Ana Paula por ter vindo, e ela nos disse que após dez dias viria aplicar outra dose, bastando somente que ligássemos. Perguntamos quanto era a injeção, mas como sempre, ela disse:

– Deixa pra depois, acertamos no final!

Pois bem, naquele dia, 31/12/2008, ficamos mais tranquilos quanto ao estado de Branquinha, uma vez que estava comendo normalmente e recebendo tratamento adequado. Assim como Ana disse, ela não saía mais dos arredores do prédio.

Mais tarde, em função de uma forte chuva ter caído, Branquinha se abrigou no hall de entrada do prédio. Como estava sem tomar banho já fazia algum tempo, uma parte da parede onde ela se encostou ficou suja. No dia seguinte, passei uma esponja com sabão e água e as manchas deixadas por ela sumiram. A partir disso, toda vez que chovia, ou até mesmo o sol ficasse muito forte, Branquinha se abrigava no hall de entrada. Não me importava em ter que lavar o local até que encontrássemos um dono para ela e dar um banho. Só que estava difícil. Ao oferecer para as pessoas, quando dizíamos que ela precisava de tratamento porque estava com sarna, as pessoas não se interessavam muito.

No dia seguinte, ouvimos algumas reclamações em voz alta por causa da cadela que estava se abrigando no hall de entrada. Mas tudo bem, pensei comigo, hoje acho que vamos encontrar um dono para ela. Passou o dia inteiro e não conseguimos ninguém. No dia seguinte, a chuva resolveu cair valendo e Branquinha, que tinha levado algumas broncas por ter dormido no hall de entrada passou a ficar ao relento, mesmo quando chovia. Quando vi ela novamente, debaixo do mesmo pé de Maria-sem-vergonha, onde a encontramos, tremendo de frio e ensopada, não suportei, precisava deixá-la em um lugar seco. Arrumei um papelão e transferi sua caminha para debaixo do telhado do estacionamento. Junto com ela levei o pote de ração e o de água. Assim que abri o portão da garagem e Branquinha entrou no estacionamento, começou a dar pulos muito engraçados. Se sacudiu várias vezes e não sei se tais gestos foram de gratidão ou de alegria por não estar mais na chuva. De qualquer forma, disse a ela que não saísse daquele local. Fiquei com medo que ao se movimentar o sensor de movimento do alarme disparasse. Mas ainda bem que ela sendo pequena, depois de alguns testes, o alarme não disparou.

No quarto dia em que estávamos tentando achar alguém que adotasse Branquinha, lá pelas 17:00 h levei o Arthur  para passear. No caminho de volta, encontrei uma caixa de papelão em frente a loja do Boticário, no centro da cidade e resolvi levar a caixa para que Branquinha pudesse dormir melhor naquela noite, uma vez que dos contatos que fizemos, novamente ninguém se interessou. Chegando no estacionamento, abri o portão e Branquinha não estava. Pensei comigo: ela deve ter saído para dar uma volta. No início da noite, recebemos uma visita muito especial: meu Pai, minha Mãe e minha avó Parasquévia, ou mais conhecida como Baba, que estava passeando por aqui lá de Porto União, norte do Estado e divisa como Paraná. Para recebê-los, desci até a calçada e resolvi dar uma olhada no estacionamento, a fim de verificar se Branquinha já tinha voltado. Infelizmente ainda não. Pior ainda, segundo a vizinha que aplicou o spray antissarna em Branquinha, alguém do prédio pediu que levássem-na para longe, a fim de que não ficasse mais pelos arredores do prédio, muito menos no estacionamento.

Recebendo a notícia e vendo que Branquinha não iria mais voltar, sentimos uma enorme tristeza. Torcemos para que a pessoa que a levou tenha deixado em boas condições e a mesma não esteja sofrendo ou tenha morrido. Sendo assim, deixo aqui as fotos de Branquinha, caso alguém a veja, por favor, não a maltrate, apenas alimente-a, adote-a ou procure um dono, que é o que ela precisa.

A cadela sarnenta mas alegre e contente!
Branquinha! A cadela sarnenta, mas alegre e contente!
Eu ao lado de Branquinha!
Eu ao lado de Branquinha!
Anúncios

6 comentários em “Branquinha, a cadela sarnenta mas alegre e contente!

  1. Impressiona a facilidade com que as pessoas perdem a oportunidade de fazerem juz a qualidade de sêres humanos. Refiro-me àqueles que eliminaram as chances da Branquinha ser curada e bem tratada. É certo que os animais não falam. Mas é certo também que de alguma maneira conseguem dizer do que sentem. Que a alegria da Branquinha ao ser acolhida pelo Fabio possa se repetir por ter sido acolhida por outro alguém.

  2. E uma pena que as pessoas que levaram para longhe essa criatura de DEUS NÃO TIVERAM CORAÇÃO COMO ESSA PESSOA QUE CUIDOU DO ANIMAL. QUEM sabe algum dia no futuro alguem a leve para longe tambem para não inconmodar.
    UM DIA NÃO MUITO DISTANTE O CRIADOR DO UNIVERSO TALVEZ DE FIM A ESSA RAÇA HUMANA E FIQUE COM SUA CRIAÇÃO “inferior” NOVAMENTE.

  3. é linda é peba é k a cadela tenha esse probelema de pena

    mas a minha cadela tb tem e é ingualssisima a essa

    mas ela é alegre

    e éssa ou esse animal é lindo e contente e alegre

    bjos para todos

  4. Não, infelizmente a Branquinha não apareceu. Acredito que devido ao tempo que já faz, ela não vai mais aparecer. Não importa onde ela esteja, só desejo que ela esteja bem.

    Um abraço!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s